doenças oculares

CATARATA

A cirurgia mais comum no ser humano.

A catarata é caracterizada pela fibrose e perda de transparência que comprometem progressivamente o cristalino, lente natural que existe dentro do olho, responsável pelo foco da visão na retina.

Causas e sintomas

Geralmente ocorre por causa do envelhecimento natural. Outros fatores como traumas, diabetes, infecções e maior exposição ao sol podem provocar ou acelerar o desenvolvimento da catarata.

A doença pode atingir qualquer idade e costuma evoluir  lentamente, fazendo com que, muitas vezes, o paciente só perceba a perda de qualidade visual quando a catarata se encontra numa fase mais avançada. Por isso a atenção de um especialista faz toda a diferença.

O tratamento é cirúrgico e considerado um dos mais seguros na medicina, quando realizado no início ou numa fase moderada da doença.

GLAUCOMA

É um conjunto de doenças provocadas por deficiência no escoamento do humor aquoso, líquido constantemente produzido e drenado para fora do olho, causando aumento da pressão intraocular e destruição progressiva das fibras do nervo óptico.

Causas e sintomas

Na maioria dos casos a doença é hereditária e mais comum em idosos, negros, diabéticos e hipertensos. Alguns glaucomas, menos frequentes, podem ser causados por traumas, hemorragias e inflamações intraoculares.

Muitas vezes, na fase inicial ou moderada, a doença é assintomática. Quando não é devidamente controlado e o glaucoma evolui para a fase avançada, o paciente começa a perceber a perda lateral da visão, que pode evoluir para cegueira total irreversível.

Alguns casos agudos ou inflamatórios podem provocar, precocemente, dores, vermelhidão e alterações visuais.

DIAGNÓSTICO

Os casos avançados são facilmente detectados logo na primeira consulta. Nos casos iniciais, o oftalmologista pode detectar sinais suspeitos da doença, como aumento da pressão intraocular ou da escavação do nervo óptico. A confirmação do glaucoma é obtida através de exames complementares. Nos casos moderados e avançados, esses exames costumam mostrar alterações típicas já na primeira avaliação. Entretanto, como o glaucoma costuma evoluir lentamente, é comum nos casos bem iniciais não se ter uma confirmação nos primeiros exames, podendo levar meses ou anos de monitoramento para que surjam evidências da doença.

DOENÇAS
REFRATIVAS

Mais visão ao seu alcance.

Miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia (vista cansada) são doenças que causam dependência variada dos óculos de grau ou lentes de contato, prejudicando a qualidade de vida.

Com as cirurgias refrativas (conhecidas como ‘cirurgias de correção de grau’) é possível obter correção parcial ou total da visão, com alta precisão e segurança.

Os nossos especialistas realizam uma avaliação refrativa com tecnologia digital para identificação exata do grau de cada olho e um minucioso exame microscópico do globo ocular.

Após avaliação das condições oculares, são feitos diversos exames complementares para avaliar as estruturas dos olhos, quando é definida qual a melhor solução para cada caso.

Doença Refrativa - Visão Normal
Doença Refrativa - Visão com Miopia

Doenças da
retina e vítreo

Veja o mundo da
melhor maneira.

A Retina é uma fina camada de tecido nervoso que reveste internamente o olho. É responsável por captar a imagem e transmiti-la ao cérebro, gerando assim o sentido da visão. Por sua vez, o humor vítreo, uma gelatina transparente, preenche o espaço interno do olho, mantendo assim um contato direto e íntimo com a retina.
As principais doenças retinianas são provocadas pelo diabetes, hipertensão arterial, traumas, inflamações, degenerações, distrofias e pelo próprio envelhecimento.

RETINOPATIA DIABÉTICA E HIPERTENSIVA

Assim como acontece em outros órgãos, quando o diabetes e a hipertensão arterial não são devidamente controladas, podem surgir edemas, isquemias e sangramentos na retina, causando comprometimento visual parcial ou total.


DESCOLAMENTO DE RETINA

Visão de flash de luz ou sombra na periferia – como uma cortina ou manchas escuras flutuando na frente da visão – pode significar o descolamento da retina. Pode ser provocado por traumas, degenerações na periferia da retina e trações do vítreo, principalmente em míopes, que possuem a retina mais fina e frágil.

DEGENERAÇÂO MACULAR RELACIONADA A IDADE(DMRI)

É uma doença incurável e associada ao envelhecimento, provocada pela má nutrição e acúmulo de resíduos metabólicos na mácula, área nobre e central da retina, comprometendo progressivamente a visão com gravidade variada.


BURACO MACULAR

O aparecimento de uma mancha escura no centro da visão pode ser sintoma do buraco macular, doença provocada por tração do vítreo e rompimento de algumas ou todas as camadas da mácula, área mais central e afinada da retina, comprometendo a visão central.

CERATOCONE

Cada detalhe faz a diferença.

Ceratocone é uma doença que provoca lentamente o abaulamento central da córnea, gerando a piora progressiva da visão e aumento de grau.

Causas e sintomas

Acredita-se que seja causado pelo trauma ao coçar os olhos com força, sintoma muito comum entre os portadores, associado a uma menor resistência da córnea. Geralmente aparece na adolescência e o que mais desperta suspeita é o rápido aumento de grau, obrigando o paciente a trocar de óculos, as vezes, em poucos meses, associado ao histórico de alergias.

Diagnóstico

Exames complementares que avaliam a estrutura da córnea podem mostrar alterações suspeitas ou bem evidentes, dependendo do estágio da doença. Casos avançados podem ser percebidos na própria consulta.

Olho seco

De olho no conforto da sua visão.

Olho seco é uma das doenças oculares mais comuns. É provocada pela redução do volume e/ou da quantidade de gordura da lágrima, diminuindo a lubrificação dos olhos.

SINTOMAS E CAUSAS: os sintomas mais comuns são irritação, ardência, vermelhidão, sensação de fadiga ou peso nos olhos, coceira constante, intolerância às lentes de contato, oscilação da visão (momentos com visão boa, momentos com visão menos nítida) ou até mesmo lacrimejamento (paradoxal), que comprometem de forma significativa a qualidade de vida do paciente.
As principais causas são envelhecimento, menopausa, uso de diversas medicações sistêmicas, uso de lentes de contato por muitos anos, diversas doenças sistêmicas, etc.

DIAGNÓSTICO: Além da avaliação de consultório, exames complementares são capazes de detectar a queda de volume e/ou da qualidade da lágrima.

Envelhecimento
palpebral

Com o passar do tempo, à medida que envelhecemos, surgem alterações em diferentes partes do corpo. Mudanças nas pálpebras podem ser facilmente observadas com a chegada de certa idade, já que a pele da pálpebra é mais fina e frágil.
O envelhecimento palpebral acontece pelos mais variados fatores, principalmente os genéticos, os maus hábitos (tabagismo) e ambientais, como a exposição excessiva ao sol.

Diminuição da fenda
palpebral

É provocada tanto pelo peso do excesso de pele, como pela diminuição da força muscular palpebral.

Flacidez na pálpebra

Principalmente em mulheres, podemos notar fatores hormonais contribuindo para a flacidez.

Mudança na expressão

O olhar é a parte mais expressiva da face, e as alterações senis podem acabar prejudicando a beleza da face como um todo.

NÃO É SÓ ESTÉTICA

Se as pálpebras já estão envelhecidas, o ideal é recorrer à cirurgia plástica ocular. A blefaroplastia (plástica palpebral) é uma cirurgia muito eficaz. Mas é preciso estar atento e consultar sempre o seu oftalmologista: a alteração na área da pálpebra pode gerar espessamento da mucosa conjuntival e outros problemas.